top of page

Francesca Valdani e o seu papel como gerente de equipe da Nissan na Fórmula E

Parte da renovação da equipe Nissan, Valdani falou sobre as suas responsabilidades, os maiores desafios de seu trabalho e como é ser uma mulher no mundo do automobilismo



Francesca Valdani  entrou na equipe de Fórmula E da Nissan um pouco antes do início da temporada de 2023. Ela faz parte de uma das diversas novas contratações que a equipe japonesa vem realizando desde que a parceria com a e.dams foi encerrada. 


Dentro do time, Valdani ocupa uma posição de destaque como Team Manager (gerente da equipe) e o seu trabalho implica em manter a casa organizada, de modo que todos possam avançar na direção certa dentro e fora de pista. 


“Os fins de semana de corrida são apenas a ponta do iceberg no que diz respeito ao trabalho duro que toda a equipe realiza. Eu tenho várias responsabilidades internas. Sempre estou em contato com os diretores de corrida e o departamento esportivo da FIA caso a equipe precise reportar alguma coisa ou se eu tiver que passar uma mensagem. É muita correria, por isso, a minha responsabilidade é garantir que a gente cumpra todo o regulamento e cada membro do time esteja onde tem que estar no momento necessário”, comentou. 


Nascida na Itália, Francesca acredita que uma das coisas mais legais de seu trabalho é a adrenalina do ambiente competitivo e poder viajar o mundo. Segundo ela, descobrir novos lugares e culturas é algo muito enriquecedor, mas a melhor coisa de se trabalhar com automobilismo é quando a equipe consegue um resultado positivo, pois é o momento que serve para coroar o esforço de cada integrante e todos sentem que o dever foi cumprido. 


Valdani chegou na equipe nipônica dias antes dos testes de pré-temporada realizados em dezembro de 2022. Nesse momento, o foco de todo o grid da Fórmula E já estava na 9ª temporada, que começou em janeiro de 2023.  


“Ingressar na equipe alguns dias antes dos testes de pré-temporada definitivamente não foi fácil! Fui para Valência sem saber o nome de alguns membros da equipe e demorou para eu me adaptar a uma nova dinâmica de trabalho com tantas pessoas. Mas eu me dediquei muito e aos poucos foi dando certo. Esse foi o meu maior desafio”, disse. 


Francesca com a equipe durante um fim de semana de corrida (foto: NISMO)


Falando um pouco mais sobre o seu trabalho, a italiana revelou que precisa passar muito tempo se preparando para as futuras etapas da competição, de modo que tudo esteja alinhado e possa fluir da melhor forma possível. Ela é responsável por tornar o ambiente mais fácil para cada integrante do time. 


“Eu trabalho com o coordenador da equipe e o coordenador de viagens para garantir que tudo esteja definido do lado logístico. Depois de um fim de semana de corrida, conversamos com os engenheiros, discutindo o que deu certo e como podemos melhorar. Mesmo que tenhamos tido um bom fim de semana, sempre há mais que podemos fazer, por isso é importante nos reunirmos para falar sobre o evento anterior. Também mantenho contato com a FIA para dar feedback sobre eventos anteriores ou organizar eventos futuros.”


Por estar em uma posição onde precisa lidar com diversos cargos diferentes, Francesca é uma das peças chaves da equipe Nissan e apesar dos muitos avanços, o mundo do automobilismo ainda é um ambiente dominado por homens. Sobre o assunto, a italiana afirmou que é bastante desafiador, mas que muitos avanços já aconteceram ao longo dos últimos anos. 


“É um desafio todos os dias, mas vários passos já foram dados. Há muitas mulheres em funções importantes dentro de todas as equipes do grid, o que é ótimo de ver. Acredito que precisamos seguir firmes e fortes para apoiar a próxima geração de mulheres que vão entrar no automobilismo para que esse progresso seja contínuo. Eu tenho muita sorte de estar na Nissan, porque temos diversas mulheres na equipe. Isto ajuda a criar uma atmosfera diversificada de vivências e pensamentos”, disse. 


Apaixonada por automobilismo desde criança, Francesca afirmou que estar dentro da Fórmula E é um sonho. Ser parte de algo tão grande a faz muito feliz e mesmo que tenha crescido com o automobilismo tradicional e siga sendo uma ávida fã de outras categorias, Valdani enxerga a Fórmula E como a categoria do futuro e que vem abraçando uma geração de fãs mais novos, que não são tão resistentes a novidades como as pessoas mais velhas e estão mais dispostos a explorar diferentes formas de entretenimento. 


“A Fórmula E chamou a minha atenção assim que foi lançada e sempre quis me aproximar mais da categoria. A sustentabilidade, a questão da mobilidade elétrica e tudo o que engloba a FE é fascinante. Tudo acontece de maneira muito intensa já que treino livre, classificação e corrida acontecem em um dia só (em caso de rodada única). É um turbilhão de emoções e eu me considero muito sortuda de ser parte disso e poder trabalhar com algo que eu amo”, finalizou. 

0 comentário

댓글


bottom of page