top of page

Da Costa vence em Misano, mas é desclassificado e perde a vitória

Relatório técnico da FIA revelou violação no acelerador do Porsche 99X Electric de António Félix da Costa, resultando na sua desqualificação do E-Prix de Misano



Vencedor do sexto E-Prix da 10ª temporada da Fórmula E, o português António Félix da Costa (TAG Heuer Porsche) foi desqualificado e perdeu os 25 pontos conquistados na corrida realizada neste sábado (13), no Circuito de Misano, em Rimini, na Itália.


Da Costa, cometeu uma violação técnica após investigação da FIA, onde os comissários identificaram um problema com a mola do amortecedor do acelerador, que não estava em conformidade com as regulamentações da categoria.


Como resultado, os carros que estavam abaixo de António na classificação original da corrida avançaram uma posição, significando que o britânico Oliver Rowland (Nissan) ficou com a vitória na corrida.


Segue a mensagem do relatório da FIA sobre o caso:


''O gerente da equipe e o representante do fabricante explicaram que desde o início da nona temporada, eles não mudaram a mola do amortecedor do acelerador. O Team Manager aceitou que a peça lacrada, conforme consta do anexo do Relatório Técnico 13, foi montada no Carro #13 e foi selada na presença do Mecânico Chefe da equipe. O Team Manager afirmou também que na lista da Spark (pedais) a parte selada não está listada.

Normalmente as alterações do catálogo do Spark são destacadas para que todos possam ver as alterações, mas não as remoções. O Delegado Técnico da FIA confirmou este procedimento. Os representantes da Spark confirmaram que esta peça estava listada na lista de peças dos carros GEN2, mas não no atual carro GEN3. Eles também confirmaram que a retirada de peças desse catálogo não está destacada nem cancelada.

O competidor é responsável pela conformidade do carro e mesmo que não haja vantagem de desempenho, o carro tem que cumprir o Regulamento (Artigo 1.3.3 do Código Desportivo Internacional). Devido a este resultado, o carro foi desclassificado da corrida e os próximos carros subiram na classificação''.


Por meio de suas redes sociais, a Porsche declarou que recorreu da decisão da direção de prova, portanto, o resultado da corrida pode acabar sendo alterado dentro dos próximos dias, caso o recurso da equipe alemã dê certo.



A corrida em Misano foi marcada por muita confusão e contato entre os carros. A gestão de energia sempre foi crucial para pilotos e engenheiros, com os monopostos começando o E-Prix tendo disponível entre 60% e 70% da energia utilizável necessária para terminar a prova, sendo o restante recuperado pela frenagem regenerativa.


A liderança da corrida foi o lugar menos eficiente, com o carro da posição 1 enfrentando a resistência do ar em primeiro lugar, enquanto os carros atrás se beneficiavam da esteira aerodinâmica em termos de eficiência.


O brasileiro Sérgio Sette Câmara, que havia terminado a corrida em P7, levou uma punição de 50 segundos no grid, porque o carro teve um pico de energia. Com isso, ele terminou em P16 e após a desclassificação de Da Costa, subiu uma posição, ficando em P15.


O carro de Sérgio apresentou problemas desde o Treino Livre, onde chegou a parar e o fez abandonar a sessão. A equipe ERT informou antes da corrida que foi identificado o problema, porém, não seria possível arrumar a tempo da primeira corrida da rodada dupla na Itália. Essa falha pode ter sido a causa do pico de energia no carro de Sette Câmara.


O brasileiro Lucas di Grassi se beneficiou com a punição do piloto português, porque subiu de P11 para P10, marcando o seu primeiro ponto com a ABT na temporada de 2024 da Fórmula E.


Com as punições, além de ter vencido a prova, Oliver Rowland também assumiu a liderança do campeonato. Jake Dennis (Andretti) em P2 e Maximilian Günther (Maserati) em P3, completaram o pódio.


Destaque para o bom desempenho de Dan Ticktum, que teve o seu melhor resultado desde que entrou na Fórmula E ao terminar em P4. O pole position Mitch Evans terminou em quinto lugar, enquanto o seu companheiro de equipe Nick Cassidy sofreu uma colisão com Jean-Éric Vergne - que ficou em P6 - e teve que abandonar a corrida.



Texto: On Board Sports (assessoria da Fórmula E no Brasil) e Entre Fórmulas.

0 comentário

Comments


bottom of page