top of page

Max Günther comenta sobre os testes de pré-temporada da Fórmula E

De contrato renovado com a Maserati e focado em Valência, Max destaca que o principal objetivo da equipe é aprimorar o que já foi estabelecido



Maximilian Günther surpreendeu a todos na 9ª temporada da Fórmula E, após ser o responsável pela recuperação da Maserati na segunda metade do campeonato. O piloto alemão conseguiu quatro pódios, duas pole position e uma vitória, além de ter feito 101 dos 140 pontos marcados pela equipe tridente em 2023, o que o fez terminar o campeonato na sétima colocação.


O seu triunfo e resiliência foram fundamentais para renovar as energias da equipe, que foi se fortalecendo ao longo das etapas e mostrando uma evolução enquanto grupo.


As atualizações feitas no trem de força foram certeiras e o trabalho dos engenheiros - principalmente aqueles que trabalham diretamente com Günther ao longo das provas - fizeram com que a Maserati terminasse a temporada já sendo apontada como um dos times que podem surpreender em 2024.


Confirmado na 10ª temporada, após ter o seu contrato com a Maserati estendido, Max falou sobre a sua permanência e o quanto essa primeira jornada ao lado da marca italiana foi importante para o seu crescimento na Fórmula E.


“Estou feliz em continuar a minha jornada com a Maserati. Tivemos conquistas importantes juntos e a nossa evolução é algo que eu me orgulho muito. Depois de um começo de ano difícil, nós trabalhamos forte para melhorar o nosso carro e isso foi recompensado com os grandes resultados que conseguimos na segunda metade do campeonato”, disse.


Max em sessão de fotos realizada após a renovação

de seu contrato (foto: Maserati MSG Racing)


A vitória de Max Günther no E-Prix de Jacarta foi um feito bastante comentado no mundo do automobilismo, já que foi a primeira vitória da Maserati em um monoposto em 66 anos. A última vez que a equipe havia conseguido isso foi com Juan Manuel Fangio, na Fórmula 1, em 1957.



Com a pré-temporada batendo na porta, Günther comentou sobre a preparação da Maserati para a semana de testes que vão acontecer em Valência no final de outubro.


“Nós estamos discutindo novas ideias e tentando novas estratégias para extrair o melhor do nosso carro. Com base nos dados que coletamos corrida a corrida, a nossa performance se elevou e o equipamento está mais eficiente do que no começo do Gen3. O foco é aprimorar o que já foi estabelecido e estou confiante de que nós vamos conseguir resultados melhores no futuro”, afirmou.


Ainda falando da pré-temporada, Max revelou que os testes são importantes para entender o ritmo do carro e também é o momento perfeito para avaliar novas abordagens dentro de pista antes de competir para valer.


Como na Fórmula E eles lidam com diferentes condições de corrida, Valência é o lugar perfeito para a simulação de estratégias que podem ser aplicadas em provas específicas sem que as outras equipes saibam. O Circuito Ricardo Tormo é um autódromo convencional e por mais que todos estejam no mesmo ambiente, cada time estará focado em seu próprio planejamento - com exceção dos momentos de simulação de corrida e volta rápida, onde é comum observar os adversários.


“Tentamos testar diferentes áreas como as configurações do carro e o software. Também focamos nas diferentes condições de pista, porque temos desde pistas rápidas como a Portland International Raceway até pistas de rua muito estreitas com ondulações e superfícies variadas, como é o caso de Roma, por exemplo. Para nos adaptarmos a isso, temos uma vasta gama de ferramentas disponíveis que utilizamos em Valência para encontrar as variáveis e descobrir como podemos extrair o máximo do carro em cada condição. Isso ajuda muito na compreensão dos pilotos e nos dá uma direção do que fazer no simulador, que será a nossa companhia nos meses de inverno que antecedem o começo da nova temporada”, explicou.


Max Günther ao lado de James Rossiter, chefe de equipe da Maserati,

durante o E-Prix de Londres 2023 (foto: Maserati MSG Racing)


Com a saída de Edoardo Mortara e a chegada de Jehan Daruvala, o piloto alemão entrará em uma nova fase dentro da Maserati, onde terá um foco ainda maior em si. Inclusive, essa talvez seja a maior chance para Max se estabelecer de vez em uma equipe desde que entrou na Fórmula E na quinta temporada.


Depois de passar por Dragon Penske, BMW Andretti e Nissan e.dams, o piloto mais jovem a vencer uma corrida da Fórmula E pode se tornar o principal nome da Maserati na categoria elétrica e construir uma carreira duradoura na equipe tridente. Afinal, Max tem apenas 26 anos e não divide o seu tempo com nenhuma outra competição automobilística.


O desafio e a pressão são grandes, mas Günther se mostra otimista com o futuro e conta com o apoio de toda a equipe ítalo-monegasca, além de ter construído uma relação bem sólida e de confiança com James Rossiter, chefe de equipe da Maserati.


“Para a 10ª temporada, o foco é manter a mesma energia e paixão que construímos como equipe neste ano. Todos os desafios que enfrentamos juntos em 2023 nos tornaram mais fortes e isso foi inspirador. Acredito que a maior potência vai seguir sendo os trens de força da Jaguar e da Porsche e a nossa ambição é entrar nessa briga com eles. Nós sabemos o que queremos conquistar e o meu objetivo é ser competitivo o bastante para ajudar a equipe a chegar lá”, finalizou.

Comments


bottom of page