top of page

Frijns vence corrida, Cassidy é o mais rápido; terceiro dia de pré-temporada da Fórmula E

No último dia em Valência, Jaguar confirmou a dominância de seu trem de força com bons resultados de Cassidy e Frijns. Porsche apresenta bom desempenho e Maserati indica que pode dar trabalho



Na última sexta-feira (27), a Fórmula E invadiu a pista do Circuito Ricardo Tormo, em Valência, para o último dia de testes da pré-temporada. Por conta do incêndio que aconteceu na garagem da WAE no começo da semana, os testes de quarta-feira foram suspensos e retomados na quinta-feira, onde foi informado pela categoria que para compensar o tempo perdido, o último dia teria a pista liberada do começo da manhã até o final da tarde.


A manhã começou com uma simulação de corrida de 27 voltas, dando às equipes e pilotos a oportunidade de testar um programa de corrida completo, incluindo as ativações do Modo Ataque e o pit stop. Robin Frijns, piloto da Envision - que utiliza o trem de força da Jaguar - terminou a corrida na primeira posição, sendo seguido de perto por Mitch Evans e António Félix da Costa.


Já em relação às voltas rápidas, Nick Cassidy fez o melhor tempo da sessão com 1m24s617. Em segundo lugar ficou Maximilian Günther, que terminou apenas a 0,041 segundos atrás do piloto da Jaguar. Max foi o grande destaque da pré-temporada passada, onde foi o mais rápido em três dos quatro dias de testes que ocorreram na cidade espanhola.


Com o ótimo resultado de Nick Cassidy, a Jaguar deixou Valência sendo a equipe mais dominante da pré-temporada de 2023/2024, já que no primeiro e segundo dia de ação na pista o tempo mais rápido foi conquistado por Mitch Evans.



O QUE ACONTECEU NO PERÍODO DA MANHÃ


O último dia de testes em Valência começou com uma simulação de corrida. Foram dadas duas voltas atrás do safety car antes dos carros percorrerem livremente pelo circuito. Entretanto, Jehan Daruvala voltou para o box da Maserati no final da primeira volta. Além do piloto indiano, quem também foi para a garagem após duas voltas, foi o brasileiro Sérgio Sette Câmara. O carro da ERT (ex-NIO) sofreu com muitos problemas técnicos nas sessões dos testes, algo bem semelhante ao que aconteceu na pré-temporada do campeonato de 2023.


Mitch Evans começou liderando, tendo o atual campeão da Fórmula E, Jake Dennis, ocupando a segunda posição. Depois de alguns minutos no P1, Evans foi ultrapassado pelo carro branco #1 da Andretti, que abriu vantagem e com isso o neozelandês perdeu algumas posições. Jake assumiu a ponta sendo seguido por Da Costa, enquanto o seu novo companheiro de equipe, Norman Nato, ocupou a terceira posição.


Durante a semana, na segunda e na quarta, os pilotos tiram fotos oficiais e

gravaram a abertura da nova temporada e conteúdos extras.

Na foto, Müller e Di Grassi, gravando um vídeo para a Fórmula E.

(foto: ABT CUPRA)


A partir da sexta volta, alguns pilotos do grid começaram a ir para o pit lane para fazer uma simulação de pit stop. O carregamento rápido não aconteceu de fato e serviu apenas para os pilotos praticarem o tempo de parada com os mecânicos, que encaixavam o plugue no veículo e aguardavam cerca de 30 segundos antes de liberar o retorno dos carros.


O motivo do carregamento rápido não ter acontecido, foi porque havia inicialmente apenas 8 aparelhos disponíveis para as 11 equipes, sendo que um desses carregadores foi perdido no incêndio que aconteceu no dia 24 de outubro. Contudo, posteriormente foi confirmado que uma carga de energia adicional foi ativada por meio eletrônico depois da passagem dos pilotos pela parada obrigatória.


Depois do pit stop, ocorreu uma simulação de bandeira amarela com o safety car dando algumas voltas na pista. Um pouco antes disso, Robin Frijns assumiu a liderança fazendo o melhor tempo da manhã até aquele momento.


Assim que a corrida foi retomada, poucas voltas depois, Oliver Rowland teve problemas com o carro e isso causou uma bandeira vermelha. Devido a parada do piloto da Nissan, todos decidiram retornar aos boxes para dar andamento aos cronogramas de testes. Com isso, Frijns finalizou a simulação de corrida em primeiro lugar, com Da Costa em segundo e Vergne em terceiro.


Depois de 20 minutos sem nenhuma movimentação na pista, a McLaren foi a primeira equipe a mandar seus pilotos de volta. Não aconteceu muita coisa nas primeiras horas após a corrida, já que cada piloto estava atendendo uma demanda específica dos engenheiros.


Os melhores tempos foram marcados pelos pilotos da DS Penske e da Maserati, que ditaram o ritmo em boa parte do resto do período matutino. Com destaque para Stoffel Vandoorne, Jean-Éric Vergne e Maximilian Günther.


As falhas técnicas no carro de Ticktum começaram a ser contínuas, o que gerou muitas discussões entre ele e o seu engenheiro. Sérgio Sette Câmara conseguiu entrar na pista após perder a simulação de corrida e se dedicou em fazer voltas rápidas para coleta de dados. Rowland, que foi o causador da bandeira vermelha por conta de problemas com o seu carro da Nissan, perdeu o resto do teste da manhã e só retornou na parte da tarde.



O QUE ACONTECEU NO PERÍODO DA TARDE


Apesar da pista ficar aberta ao longo do dia inteiro, as equipes fizeram uma pausa para o almoço em momentos próximos uns dos outros, por isso, entre meio-dia e duas da tarde variou a quantidade de carros na pista.


Enquanto a Maserati e a DS Penske demonstraram um bom ritmo de manhã, no período da tarde a Jaguar e a Porsche foram os destaques nas voltas rápidas.


Sacha Fenestraz optou por tentar melhorar os seus tempos e aos poucos ele foi avançando, deixando de ter uma das piores marcas do dia para chegar próximo do Top 10 ao ficar décimo em primeiro. Contudo, posteriormente, ele passou a atender as demandas técnicas específicas dos engenheiros e começou a ficar para trás em comparação com os outros pilotos.


Jehan Daruvala foi o primeiro piloto do dia a conseguir marcar um tempo abaixo do 1 minuto e 25 segundos. O indiano conseguiu fazer 1m24s992 e logo em seguida os demais pilotos do grid passaram a acelerar mais e também começaram a baixar seus tempos. Jake Dennis fez uma volta rápida de 1m24s886 para assumir a liderança.


Sacha Fenestraz durante os testes vespertinos no Circuito Ricardo Tormo

(Foto: Nissan)


Faltando quatro horas para o final do dia de testes, o Top 10 estava assim: Dennis, Daruvala, Vergne, Cassidy, Evans, Da Costa, Günther, Nato, Müller e Bird.


Depois de mais algumas voltas, Max Günther deu um salto em seus tempos e passou a ocupar o segundo lugar, com Norman Nato em terceiro, que também foi evoluindo em seu desempenho no decorrer do dia.


Com duas horas e meia para o encerramento, Jake Hughes passou a figurar entre os melhores tempos do dia. Inicialmente, o piloto da McLaren superou o tempo de Jean-Éric Vergne para ocupar o sexto lugar e um pouco mais tarde ele chegou a ficar em primeiro lugar.


Quando o relógio indicou que faltavam apenas uma hora e meia de ação no Circuito Ricardo Tormo, Max Günther assumiu a primeira posição - que até então estava sendo ocupada por Hughes - ao fazer uma volta de 1m24s007.


Lucas di Grassi entrou na disputa pela liderança com Günther e Hughes, chegando a fazer o melhor tempo até ter a sua volta deletada por exceder os limites de pista. Robin Frijns teve problemas com a bateria de seu carro e voltou aos boxes da Envision para que a mesma fosse substituída.


Restando pouco menos de uma hora para o final dos testes, os pilotos da Jaguar começaram a fazer stints rápidas novamente, com Evans em sexto lugar e Cassidy em quarto. A partir daí, aos poucos eles foram brigando com os outros pilotos e Cassidy chegou a fazer o segundo melhor tempo, ficando atrás do piloto alemão da Maserati.


Evans bateu o tempo de seu compatriota e ocupou o segundo lugar por muitas voltas. Entretanto, nos últimos 5 minutos, uma disputa começou entre Cassidy e Günther, com ambos batendo o tempo de Evans e brigando pelo topo. Frijns, conseguiu retornar no final da sessão e garantiu o quarto lugar, superando Pascal Wehrlein e Norman Nato.


Nick Cassidy (Jaguar) fechou o dia de testes com a marca de 1m24s617, ficando com o melhor tempo. Em segundo lugar ficou Maximilian Günther (Maserati) com 1m24.658. Fechando o Top 3, Mitch Evans (Jaguar) fez o tempo de 1m24s703.



CONFIRA ABAIXO O RESULTADO COMPLETO DO TERCEIRO E ÚLTIMO DIA DE TESTES DA PRÉ-TEMPORADA DA FÓRMULA E:


1. Nick Cassidy (Jaguar TCS Racing) 1:24.617

2. Maximilian Günther (Maserati MSG Racing)1:24.658

3. Mitch Evans (Jaguar TCS Racing) 1:24.703

4. Robin Frijns (Envision Racing)1:24.710

5. Pascal Wehrlein (Tag Heuer Porsche FE Team) 1:24.747

6. Norman Nato (Andretti Formula E)1:24.754

7. Oliver Rowland (Nissan Formula E Team) 1:24.762

8. Jake Hughes (NEOM McLaren Formula E Team)1:24.827

9. Jake Dennis (Andretti Formula E) 1:24.848

10. Stoffel Vandoorne (DS Penske)1:24.897

11. Sébastien Buemi (Envision Racing)1:24.911

12. Sam Bird (NEOM McLaren Formula E Team)1:24.946

13. Jehan Daruvala (Maserati MSG Racing)1:24.992

14. Jean-Éric Vergne (DS Penske) 1:25.004

15. Lucas di Grassi (ABT CUPRA Formula E Team)1:25.083

16. António Félix da Costa (Tag Heuer Porsche Formula E Team) 1:25.088

17. Nyck de Vries (Mahindra Racing)1:25.118

18. Nico Müller (ABT CUPRA Formula E Team) 1:25.177

19. Sacha Fenestraz (Nissan Formula E Team)1:25.190

20. Sérgio Sette Câmara (ERT Formula E Team) 1:25.294

21. Dan Ticktum (ERT Formula E Team) 1:25.355


(Obs: A Mahindra correu com um carro a menos, porque tiveram parte de seu equipamento afetado pelo incêndio que ocorreu na garagem da WAE)


Com o final dos testes, as equipes vão utilizar os dados coletados para fazer os últimos ajustes antes do início da nova temporada. A Fórmula E volta oficialmente no dia 13 de janeiro de 2024, na Cidade do México, que marca o início da 10ª temporada da categoria elétrica.


Vale lembrar que a Fórmula E volta ao Brasil em 2024 e já está aberta a pré-venda para o E-Prix de São Paulo, que acontece no dia 16 de março no Sambódromo do Anhembi. Compre o seu ingresso aqui.

Comments


bottom of page